TV CÂMARA

Contador de Visitas

Visitas

terça-feira, 18 de novembro de 2014

Produção de petróleo recua 17,6% no Estado


De acordo com a ANP, nos três primeiros trimestres do ano, foram produzidos 1,97 milhão de barris

Image-0-Artigo-1743079-1
Apesar de também ter registrado retração entre janeiro e setembro, a produção de petróleo em terra caiu menos que a marítima, no Ceará. Em terra, a queda foi de 2,5%, enquanto a marítima recuou 19,9% no período
A produção de petróleo cearense registrou a maior queda entre todos os estados produtores do Brasil, no acumulado dos três primeiros trimestres do ano. A redução chegou a 17,6%, em relação a igual período de 2013, caindo de 2,39 milhões de barris para 1,97 milhão, um decréscimo de 422 mil barris. No mesmo período, o Brasil registrou alta de 9,9%, na produção.
Conforme dados da Agência Nacional de Petróleo (ANP), a queda se deu tanto na produção em terra, como em mar. Neste último, contudo, o decréscimo foi mais significativo, tanto em termos percentuais quanto em volume, uma vez que os campos marítimos produzem cerca de 85% de todo o petróleo retirado em território cearense.
Marítima
Em mar, o Ceará produziu, de janeiro a setembro deste ano, 19,9% a menos, que em igual intervalo do ano passado, saindo de 2,08 milhões de barris, para 1,67 milhão.
A atividade petrolífera marítima está concentrada, no Estado, em quatro campos da Bacia do Ceará (Atum, Curimã, Espada e Xaréu), localizados no litoral do município de Paracuru. O óleo é retirado em águas rasas, no território cearense, com profundidades de até 50 metros.
O estado do Ceará já possui poços perfurados em águas ultraprofundas, com profundidades superiores a 1.501 metros, mas estes poços ainda não tiveram sua declaração de comercialidade expedida.
Terrestre
Em terra, a retração foi bem menor: 2,5%. O volume produzido foi de 301 mil barris, 7,7 mil a menos que os três trimestres de 2013. Por outro lado, os resultados apresentados pela ANP mostram que a campanha que vem sendo realizada pela Petrobras com perfuração de novos poços terrestres no Ceará não tem sido suficiente para reverter a tendência de queda na produção. O projeto da estatal, que teve início em março, visa aumentar a produção e o fator de recuperação de óleo do campo da Fazenda Belém, onde está concentrada a atividade petrolífera terrestre no Estado, e também agregar reservas, prevendo a perfuração de 72 poços. A fazenda se encontra nos municípios de Aracati, Icapuí e Jaguaruana.
A produção em terra vem em queda desde 2009. Já a produção marítima iniciou uma trajetória de declínio em 2004, registrando volumes cada vez menores de petróleo por nove anos. Em 2013, contudo, a produção voltou a subir, registrando um aumento de 37,2% sobre 2012, desempenho, contudo, que não deverá ser repetido em 2014.
Nacional
Entre os nove estados produtores de petróleo no Brasil, o que registrou a maior alta nos três trimestres deste ano foi São Paulo, incrementando em 148,5% seu volume de óleo, passando de 16,4 milhões para 40,7 milhões de barris.
Na sequência veio o Maranhão, com alta de 135,7%. O estado iniciou sua produção de petróleo em junho do ano passado e, nos nove primeiros meses deste ano, alcançou 38,0 mil barris. O estado do Rio de Janeiro teve alta de 5,3% no período, percentual que se torna mais expressivo pelo fato de ser o estado brasileiro com a maior produção petrolífera, contabilizando 414 milhões de barris nos três trimestres de 2014.
Volume
De acordo com os dados da ANP, o volume de petróleo produzido no Brasil neste período foi de 600,5 milhões de barris, 54,1 milhões de barris a mais que igual intervalo de 2013.
Sérgio de Sousa
Repórter
Fonte:Diário do Nordeste

0 comentários:

Postar um comentário

Twitter Delicious Facebook Digg Stumbleupon Favorites More